Em discurso direto
We Blog
Paulo Azevedo

Mensagem do Presidente do Conselho de Administração

01 Abril 2021
No início do ano passado, e pouco antes da humanidade ter sido confrontada com uma enorme batalha contra uma ameaça até então totalmente desconhecida, escrevi que nunca tinha sido tão fácil compreender que as convicções da Sonae – de que as empresas têm de ser capazes de gerar simultaneamente valor económico, social e ambiental – são fundamentais. Era minha convicção que as sociedades em geral estavam progressivamente a aceitar que este deve ser o caminho a seguir, bem como as suas implicações. Não sabia, então, quanto esta crescente consciencialização e aceitação seriam dramaticamente aceleradas. 

A atual pandemia provocou um forte choque no nosso tecido social, natural e económico. Um choque que destruiu crenças que considerávamos inabaláveis. Fomos novamente relembrados da nossa fragilidade. A sociedade como um todo compreendeu de forma errada o caminho para o desenvolvimento, ao posicionar-se acima da natureza. A pandemia levou-nos a redescobrir uma verdade fundamental: o nosso desenvolvimento enquanto sociedade e o respeito pela natureza têm que andar de mãos dadas. Ao longo de várias gerações, pensámos que estávamos em controlo. Mas não estávamos. Fazemos parte de uma rede extremamente complexa que depende de recursos limitados. Compreender e respeitar essa interdependência é fundamental para procurar um amanhã melhor, um mundo melhor.

Os custos sociais, económicos, culturais e naturais da atual pandemia ainda estão a acumular-se e levaremos anos para compreender as suas verdadeiras consequências. Estamos neste momento a lidar com os custos sanitários e sociais de curto prazo, mas os efeitos são mais profundos, muito mais profundos, e assimétricos a nível da sociedade, regiões e empresas. O colapso de pequenas empresas, o desemprego, as dificuldades no acesso a cuidados de saúde, as barreiras à literacia científica, o agravamento das tensões, as divisões raciais e sociais e o oportunismo político estão agora exacerbados.

Apesar destes meses sombrios, há também muitos sinais de esperança. Há organizações que trabalharam incansavelmente para servir as suas comunidades com coragem. Empresas que inovaram rapidamente para fornecer produtos e serviços e apoiar pessoas necessitadas. Instituições que juntas, e em tempo recorde, desenvolveram múltiplas vacinas, um feito científico sem precedentes.

Mais do que nunca, as organizações devem fazer a sua parte. As organizações têm que reconhecer o seu propósito e adotar estratégias verdadeiramente sustentáveis, definir metas ambiciosas para uma sociedade melhor e focar-se na criação de valor de longo prazo. Na Sonae, saudamos entusiasticamente esta mudança porque, na verdade, torna a nossa difícil ambição de acrescentar valor económico, social e natural um pouco menos difícil. Nas nossas tarefas diárias, sentimos mais apoio, compreensão e ajuda de mercados financeiros, consumidores, colaboradores, parceiros e fornecedores. E novas soluções estão a emergir para problemas persistentemente difíceis.

De enorme relevância durante 2020 foi a capacidade da UE gerar consenso sobre uma visão de futuro clara e uma ação substancialmente coordenada para enfrentar os efeitos da pandemia. Foi com satisfação que vimos a Europa definir claramente a digitalização e o ambiente como prioridades para moldar o seu futuro a longo prazo.


Valor económico
O impacto da pandemia no desempenho económico dos nossos negócios foi forte e muito distinto, considerando empresas que perderam as suas receitas, mas que continuaram a suportar todos os custos e, outras que tiveram que se esforçar até ao limite para dar resposta às necessidades dos seus clientes. 

Apesar deste difícil contexto, conseguimos aumentar o volume de negócios consolidado em 6,1% para €6,8 mil milhões, praticamente manter o EBITDA subjacente e apresentar um retorno sobre o capital investido de 11,1% , não obstante as fortes perdas operacionais associadas a lojas e centros comerciais encerrados.
Os nossos resultados líquidos foram, no entanto, fortemente impactados por mudanças nas avaliações externas dos nossos centros comerciais e por várias provisões extraordinárias em negócios afetados direta ou indiretamente pelos períodos de confinamento.

Assumindo uma visão estratégica de longo prazo do grau de preparação para o futuro e da perspetiva de criação de valor económico do nosso portefólio, acredito que a pandemia teve impactos negativos e positivos que resultaram numa melhoria geral da nossa situação. Houve, sem dúvida, um foco claro nas respostas operacionais a mudanças constantes de contexto, legislação e requisitos de saúde e segurança, o que reduziu o tempo disponível para fusões e aquisições e novas iniciativas de negócio que acreditamos serem importantes para moldar o nosso portefólio. Por outro lado, e de maior impacto imediato e de longo prazo, as nossas equipas geriram com sucesso uma aceleração enorme no comércio eletrónico e na digitalização. A Sonae não só é hoje claramente líder no mercado português de e-commerce, como a nossa quota média de mercado online nos negócios de retalho que controlamos já ultrapassou a quota offline equivalente! Uma transformação notável na última década, que passou despercebida em muitos círculos. Reconhecemos plenamente que devemos fazer muito mais nesta área para atingir o nível de penetração online de mercados mais avançados e para crescer de forma mais significativa em outros mercados.

Apesar de sustentar níveis significativos de investimento operacional e financeiro, o grupo foi capaz de gerar cash-flow suficiente para reduzir a sua dívida líquida, enquanto todos os negócios mantiveram os seus níveis de alavancagem investiment grade. O nosso grupo está totalmente financiado para os próximos 18 meses e a maturidade média da dívida manteve-se acima dos 4 anos. Durante 2020, a Sonae refinanciou mais de €750 milhões e executou os seus primeiros empréstimos associados a objetivos ESG no valor de €170 milhões e um green loan (financiamento para projetos ambientais) de €55 milhões.

Estes resultados apenas foram possíveis dada a resiliência e flexibilidade inigualáveis da Sonae, as nossas competências digitais e a diversificação dos nossos negócios, demonstrando, uma vez mais, o valor de longo prazo da diversificação do risco – algo em que acreditamos há muitos anos.

A pandemia fortaleceu o foco nas questões de sustentabilidade, melhorando o acesso a capital por parte de empresas e investimentos ancorados em estratégias sustentáveis sólidas, testadas e de longo prazo. Os próximos anos serão marcados por uma aceleração contínua desta tendência e redefinirão a avaliação de investimentos. Acreditamos que a Sonae estará na vanguarda deste movimento e que estamos bem posicionados para beneficiar destes fluxos de capital.


Valor Social
Acredito que a pandemia valorizou o papel do setor de retalho, em particular o papel fundamental do retalho alimentar, construindo um sentido mais profundo de propósito e proximidade com clientes e colaboradores, mas também destacando a nossa responsabilidade social.

Apesar das difíceis condições económicas e do decréscimo do nosso resultado líquido, a Sonae percebeu que devia fazer um esforço extraordinário para ajudar a sociedade a lidar, tanto quanto possível, com os graves impactos sociais desta crise.

Neste sentido, reforçámos o apoio à comunidade num momento difícil para as famílias, em todas as nossas geografias. O nosso apoio à comunidade cresceu 24% para €14 milhões, e mobilizámos a nossa equipa e as nossas estruturas para enfrentar os inúmeros desafios que a pandemia trouxe. Doámos milhares de bens, nomeadamente produtos alimentares e eletrónicos, e fizemos uma parceria com a Santa Casa da Misericórdia para proporcionar 2.500 assinaturas gratuitas do jornal Público a desempregados no país, dando simultaneamente acesso gratuito às notícias sobre Covid-19 deste jornal, pois sentimos que o acesso a informação fidedigna era importante durante a crise sanitária.

Acreditamos firmemente na ciência, e, no atual contexto, no papel crítico que desempenha na promoção da saúde e do bem-estar. Doámos €0,5 M à iniciativa Coronavirus Global Response, que teve como objetivo angariar fundos para acelerar a investigação, o desenvolvimento, a produção e o acesso equitativo a vacinas, diagnóstico e tratamento contra a Covid-19.

Enquanto membro da European Roundtable for Industry (ERT), a Sonae comprometeu-se a fazer face a alguns dos desafios urgentes do século XXI: em particular no que diz respeito ao nosso ativo mais importante, as nossas pessoas e a sua diversidade. Como membros da ERT, estamos empenhados em cooperar com os decisores políticos e outros stakeholders para impulsionar a empregabilidade na Europa, especialmente para aqueles sem emprego ou em risco de serem deslocados. A publicação da European Skills Agenda constitui uma oportunidade para colocar as pessoas no centro das transições digital e ecológica em curso. Investir na empregabilidade é investir na prosperidade e no futuro da Europa.

A nossa posição sobre Desigualdades Sociais e Desenvolvimento Inclusivo começa dentro da Sonae. Nesse sentido, definimos e comunicámos metas claras sobre a igualdade de género, com o objetivo de atingir 39% das mulheres em cargos de liderança até 2023. Em 2020, a Sonae alcançou melhorias importantes, atingindo 36%, +2p.p. face a 2019. Com o objetivo de reforçar o nosso compromisso com a paridade de género, o indicador 'Mulheres na Liderança' foi associado ao sistema de incentivos da gestão da Sonae, refletindo a nossa convicção de que a diversidade, nomeadamente de género, não só trará mais criatividade e inovação às nossas equipas, como irá garantir melhores decisões e também melhor desempenho. Temos o orgulho de liderar o índice "Leading Together”, que avalia a igualdade de género nos conselhos de administração das empresas do PSI-20.

Continuámos a dar especial atenção às necessidades das nossas pessoas e a garantir que temos os recursos certos para as apoiar durante as fases mais vulneráveis. Apesar de muitas das nossas unidades de negócio terem encerrado devido a requisitos legais, não adotámos nenhum regime de layoff nos negócios que controlamos totalmente em Portugal. Apoiámos as nossas pessoas, reajustámos as nossas operações e alocámos recursos internamente, para que os nossos colegas mantivessem os seus empregos. Perspetivando o futuro, dado o impacto esperado da transição digital e climática, como membro da ERT, a Sonae lidera o grupo de trabalho Jobs, Skills & Impact (Empregos, Competências e Impacto) que visa lançar um programa de apoio a cidadãos europeus desempregados ou em risco de perderem o emprego, devido a esta dupla transição. O principal objetivo é encontrar formas de preencher as lacunas de competências e desenvolver uma sociedade mais inclusiva, resiliente e competitiva. Em 2020, o grupo de trabalho deu início à conceção do programa piloto, ao qual a Sonae se irá associar.


Valor natural
A Sonae tem sido extremamente ativa na proteção e desenvolvimento do capital natural com uma abordagem multidimensional. Desenvolvemos um modelo, uma estratégia, métricas de desempenho e objetivos ambientais.

A Sonae, juntamente com outras 30 empresas europeias de referência, foi um dos primeiros subscritores do European Green Deal, com o objetivo de acelerar a mudança para a criação de um futuro mais justo, sustentável e resiliente. Queremos mudar o paradigma económico para um baseado na circularidade, energias limpas e indústrias de baixo carbono.

Na Floresta Sonae, reunimos todas as empresas Sonae num projeto que visa compensar as emissões de CO2 da nossa frota de veículos movidos a combustíveis fósseis, até à sua substituição total, através da plantação de 1.000 hectares de floresta. Este projeto será uma das maiores florestas privadas em Portugal e pretende aliar produção de madeira, retenção de carbono, biodiversidade e resistência natural ao impacto dos incêndios florestais. Objetivo que será alcançado com arborização de diversas espécies nativas resistentes ao fogo, em particular ao longo de linhas de água e corredores ecológicos, elevando o nível de biodiversidade consideravelmente acima do normal das florestas produtivas.

Ainda na área do clima, além do nosso compromisso com o Paris Pledge for Action e dos objetivos acordados, trabalhámos arduamente para encontrar novas soluções, fomos capazes de melhorar as nossas metas e assumimos um compromisso público de reduzir as nossas emissões próprias em 54% até 2030 e alcançar operações neutras em carbono até 2040, antecipando o prazo desta meta em dez anos. Para que isto seja possível, demos passos importantes nesta área, como o reforço do nosso investimento em energias renováveis, cuja capacidade de produção cresceu 43% em 2020.

A sustentabilidade começa em casa. O nosso novíssimo Sonae Tech Hub foi reconhecido pelo United States Green Building Council com a pontuação mais elevada de LEED em termos de sustentabilidade já atribuída a um edifício português (89 pontos) e reconhecendo-o como um dos 100 edifícios mais eco eficientes do Mundo . O Sonae Tech Hub é um espaço de inovação que acolhe os nossos projetos digitais mais inovadores, onde trabalham mais de 600 quadros técnicos, e é o nosso lar por um futuro melhor.

Uma das pressões mais significativas sobre o nosso ecossistema decorre da produção alimentar e do impacto nos habitats naturais, impondo uma necessidade urgente de encontrar fontes alternativas sustentáveis que limitem a sobre-exploração dos stocks selvagens. A nossa parceria Dourada do Algarve, sendo o maior projeto português de aquacultura, produziu 900 toneladas de peixe em 2020 e reforça o nosso compromisso com a produção nacional e sustentável, apoiando as comunidades locais e reforçando simultaneamente a nossa proposta de valor. Com esta parceria, conseguimos uma oferta mais sustentável para os nossos clientes – o projeto garante premissas de sustentabilidade acima dos padrões normalmente adotados pelos principais produtores europeus, nomeadamente: nenhum tipo de antibiótico é utilizado na atividade produtiva, os alimentos não contêm suplementos de origem animal e a densidade média de produção ao longo do ano é de 12 kg/m3, com valores substancialmente inferiores aos habitualmente utilizados de 18 a 20 kg/m3 nas principais unidades de produção de aquacultura internacional – e garantimos a frescura e a qualidade do peixe comercializado.

Hoje, mais de 70% de nossas embalagens de plástico são recicláveis, o que nos deixa confiantes de que estamos no caminho certo para garantir que até 2025 todas as nossas embalagens de plástico sejam recicláveis, compostáveis ou biodegradáveis.

A Sonae publica todas as métricas e metas de sustentabilidade relevantes para os nossos stakeholders. O grupo foi reconhecido como líder mundial pelo CDP  com a avaliação mais elevada possível: A. Estamos muito orgulhosos por receber este prémio que reconhece a ambição, ação e transparência da Sonae em termos ambientais à escala global e estamos cientes de que vai elevar a fasquia para o nosso desempenho futuro.

O nosso planeta está sob forte pressão e a aproximar-se do seu ponto de rutura. Temos de cuidar do ecossistema para que o ecossistema cuide de nós. A ligação entre o dióxido de carbono induzido pelo homem e as mudanças climáticas está demonstrada há muito tempo. Agora, a ciência está a mostrar claramente que o nosso impacto sobre a biodiversidade é um desafio ainda maior e com implicações mais expressivas e amplas. O reconhecimento de que a biodiversidade desempenha um papel crítico no nosso futuro levou-nos a começar a definir estratégias de biodiversidade para todos os nossos negócios, para garantir uma rápida redução do nosso impacto sobre a biodiversidade e, desejavelmente, encontrar formas de dar o nosso contributo para a reversão dos danos.

Tenho a honra de partilhar com a Cláudia a liderança de um Grupo Consultivo que supervisiona e lidera ativamente o caminho a seguir na melhoria do nosso desempenho social e ambiental, no sentido de cumprir o nosso propósito e juntar valores e valor.


Considerações finais
A pandemia destacou a qualidade humana das nossas equipas. A pegada da Sonae colocou as nossas pessoas na linha da frente e elas estiveram à altura do desafio, como eu sabia que fariam. As nossas equipas foram muito além das suas responsabilidades, com uma clara missão de ajudar, sabendo que, diante de uma crise tão caótica, teriam um papel vital na satisfação de necessidades sociais básicas. Gostaria de manifestar a minha mais profunda gratidão a todos os colegas pela sua dedicação imediata e altruísta.

O futuro deve ser e será um futuro de esperança. Acredito que nos tempos difíceis precisamos de encontrar dentro de nós uma luz que nos guie para um futuro melhor. A minha luz é a verdadeira convicção de que podemos fazer sempre melhor. E faremos melhor. Devemos acolher esta responsabilidade, agir como agentes de mudança e liderar o caminho. A nossa abordagem voltada para o futuro garantirá que somos uma organização long-living, que estará sempre pronta - estrutural, financeira e culturalmente - para o que quer que o futuro nos traga.

O nosso trabalho é diariamente reconhecido pelos nossos clientes que, ano após ano, elegem as nossas marcas como as mais confiáveis em cada setor e nos recompensam com sua preferência.

Gostaria igualmente de agradecer à Comissão Executiva, aos meus colegas do Conselho de Administração, aos membros de todos os nossos órgãos estatutários, aos nossos parceiros e aos nossos fornecedores pelo seu apoio continuado e comprometido.

Paulo Azevedo
Presidente do Conselho de Administração